^ Voltar ao topo
(75) 3623-0940

Mente ativa: alguns exercícios para que seu cérebro não fique parado

Mente ativa: alguns exercícios para que seu cérebro não fique parado

Nosso cérebro é um órgão formidável, complexo. Processa as emoções, coordena todas as nossas funções motoras, determina comportamentos e reações e nos permite ter percepção de mundo para formar nossas memórias. É responsável por manter tudo funcionando no nosso corpo, por isso é tão importante manter sua saúde e a longevidade. E isso, claro, está diretamente ligado ao estilo de vida.

Cuidar do coração, por exemplo, é algo imprescindível para a saúde do cérebro. Os hábitos recomendados para a prevenção de doenças cardiovasculares são comprovadamente eficazes para o bom funcionamento da mente. Atividades físicas regularmente, alimentação balanceada e controle do peso são alguns fatores que juntos contribuem ainda mais para isso. A dieta balanceada também fornece diversos nutrientes importantes para o cérebro, como o ômega-3, ativo conhecido para a memória, facilmente encontrado em peixes como salmão, atum, sardinha e em alguns grãos, como soja e linhaça.

Por que exercitar o cérebro?

Mantê-lo em forma sempre é algo que fica de lado até percebermos que devia ter sido feito há muito tempo. O ser humano passou por inúmeras evoluções até chegar aqui, sempre motivado por necessidades primordiais, como busca por alimento, abrigo, e luta pela sobrevivência. Hoje não precisamos mais caçar ou produzir nosso próprio alimento, nem corremos risco de sermos devorados por predadores famintos, ou seja, temos tudo à mão, então não faz sentido para o cérebro se esforçar para nada.

A “neuróbica”, como são chamados os exercícios para a mente, busca estimular a produção de hormônios neurotransmissores como dopamina, adrenalina e serotonina, responsáveis por melhorar as conexões entre as células nervosas. Para tirar sua cabeça da zona de conforto, é preciso realizar tarefas simples de maneira diferente do habitual, e para isso, listamos algumas delas para você.

Respiração

Seu ritmo interfere nas oscilações elétricas do cérebro. Respirar corretamente ajuda a sincronizar a frequência cerebral. E como fazer isso? Respirando pelo diafragma em vez do tórax (que é que fazemos, geralmente), inspirando pelo nariz até encher o abdômen e soltando pela boca por uma fração maior de tempo. Esses movimentos servem para aumentar e logo em seguida diminuir os batimentos cardíacos. Dessa forma, você cuida do coração e da mente ao mesmo tempo!

Caminhada

Realizar em pé, de preferência caminhando, atividades corriqueiras que sempre fazemos sentados, como ler, usar o smartphone, conversar etc. Isso aumenta a frequência cardíaca e mantém o cérebro alerta. Ele precisa estar sempre sendo mobilizado, coordenando alguma atividade motora cognitiva, emocional ou social. Fazê-lo trabalhar é como gentilmente lembrá-lo de que ele é útil e tem algo para cuidar - neste caso, um corpo.

Jogos. Quaisquer jogos!

Jogos de tabuleiro, celular, baralho etc. São extremamente cognitivos, nos fazem perceber nossos erros, calcular melhor os atos e desenvolver ainda mais nossas capacidades mentais. Desde crianças, somos apresentados a diversos brinquedos sensoriais, que estimulam os sentidos, dão noção de forma e profundidade, encaixe, cores. Para um adulto, também é importante ter os sentidos desafiados. Jogos eletrônicos, além de propiciar entretenimento, despertam seu lado estrategista.

Ligue os pontos

É normal esquecer de coisas no dia-a-dia, em qualquer idade, inclusive. Mas com muita frequência, não é legal, né? Para evitar que isso aconteça sempre, existem alguns exercícios de associação, por exemplo: se você costuma esquecer onde estacionou o carro, tente associar pontos e referências à palavras simples (geralmente estacionamentos são divididos por letras e números - primeiro andar da garagem, G1 e e vaga C2, podem ser facilmente associados a “um gato e dois cachorros”. Parece bobo, mas é infalível quando bate o esquecimento, simplesmente porque coisas bobas grudam na cabeça.

Saia da rotina

Como já dito, mudar um pouco o jeito como você faz coisas às quais está habituado faz com que seu cérebro tenha um pouco mais de trabalho: amarrar os cadarços de olhos fechados, escrever ou desenhar com a mão errada, trocar o pulso do relógio, ver imagens de ponta-cabeça, até mesmo mudar os caminhos que você faz ao longo do dia.

Aprenda algo novo

Nunca é tarde para aprender uma nova língua, descobrir um novo talento, se matricular em aulas de dança ou pintura etc. São coisas que exigem muito do funcionamento do cérebro: atenção, memória, imaginação, agilidade em alguns casos. Além disso, você pratica atividades em grupo, incentivando as habilidades sociais e te afastando de agentes causadores de depressão, como o isolamento!

Este conteúdo foi útil para você? Deixe seu comentário, curta e compartilhe; seu feedback é muito importante para nós. E não se esqueça de assinar a nossa newsletter. Até a próxima!

Atendimento

Av. Sampaio, Nº 296, Centro
Feira de Santana - BA - 44125-280

(75) 3623-0940 / 3485-1210

paxbahia@paxbahia.com.br

Clique para ampliar