^ Voltar ao topo
(75) 3623-0940

Terapia do luto: como superar a perda de uma pessoa querida?

Terapia do luto: como superar a perda de uma pessoa querida?

O luto, ao contrário do que a maioria pensa, não se trata apenas de morte: é um processo que se dá diante da perda de alguém ou algo de importância emocional para alguma pessoa. Pode ser, sim, morte, mas também pode acontecer por motivos de rompimentos, fim de um namoro, demissão etc. Cada pessoa tem a sua maneira de reagir, por isso nunca há um padrão, até mesmo sobre os estágios do luto: eles podem durar dias, meses ou até mesmo anos. Tudo depende da estrutura emocional da pessoa e de como ele desenvolve esse vínculo com a perda. É comum que cada um leve o tempo que precisar, mas quando ele passa do limite do aceitável e começa a afetar negativamente a rotina e até mesmo saúde, talvez seja hora de procurar ajuda. E é sobre isso que iremos falar no texto de hoje.

Por que temos tanta dificuldade em lidar com a morte?

O tabu que envolve a morte talvez seja o principal motivo. A expectativa de vida continua aumentando, juntamente com a busca pela juventude. Por isso, lidar com o fim tem ficado ainda mais difícil, afinal não estamos preparados para ele. Os rituais de despedida geralmente são rápidos e a falta de preparo faz com que muitas pessoas não saibam lidar de forma adequada com os sentimentos.

Quando reprimidos ou mal expressados, eles podem levar a sérios problemas psicológicos, principalmente quando a pessoa se força a acreditar que está bem. São transtornos de ansiedade, depressão, problemas cognitivos e psicossomáticos, como alterações no metabolismo, sono e apetite. Por isso é tão importante contar com ajuda profissional nessas horas.

Luto normal e luto patológico

O primeiro é marcado pelos sentimentos inerentes à perda: tristeza, ansiedade e solidão, culpa, falta de interesse pelas coisas, etc. Como já foi dito, o esperado é que esses sintomas desapareçam após um período, geralmente de seis meses a um ano. Mas quando as reações vêm com mais intensidade e dificultam o retorno à vida normal, durando mais que um ano, pode ser caso de luto patológico.

Ele é caracterizado por sintomas menos comuns, como pensamentos suicidas, alucinações e isolamento social, sendo marcado por descuido pessoal e até mesmo o consumo de álcool ou substâncias ilícitas.

Terapia do luto

É o tratamento com ajuda de um psiquiatra ou psicólogo. Nele, o profissional auxilia o paciente a vivenciar todos os estágios do luto e lidar com os sentimentos, como e raiva, tristeza, culpa, negação, falta de esperança etc. Não existe uma fórmula pré-determinada para isso, e sim maneiras de reaprender a viver nessa nova realidade onde uma pessoa importante já não está mais presente. Além disso, a terapia do luto pode ser útil em questões práticas, como o que fazer com os pertences dessa pessoa, lidar com o luto de outras pessoas próximas e até mesmo a criar uma nova rotina que não desperte memórias dolorosas.

O que a terapia do luto pode ajudar a alcançar?

Para o tratamento do luto patológico, a terapia pode ser individual ou em grupo. Ambas são muito indicadas e comprovadamente eficazes, potencializando os recursos individuais dos pacientes e oferecendo a eles o apoio social que precisam para se desvencilhar do isolamento. As metas da terapia do luto são:

  • facilitar a verbalização e expressão de sentimentos e experiências relacionadas ao que foi perdido, seja uma pessoa, objeto, relacionamento etc. Muitas vezes, os pacientes guardam tudo para si. Por isso é tão importante que “botem pra fora”, para que consigam superar;
  • conversar sobre os motivos da morte (assassinato, causas naturais, suicídio etc. Falar sobre, traz muitos sentimentos à tona, e pode trazer imagens dolorosas à mente, mas é importante para gerar aceitação;
  • procurar a solução dos problemas cotidianos gerados pelo luto e a readaptação à vida normal, com um passo de cada vez;
  • fazer projeções de um futuro tranquilo, para fazer com que o paciente gradualmente volte a sentir vontade de realizar atividades gratificantes, como trabalho ou algum hobby. A prospecção ajuda a inserir um sentimento de que, mesmo com todas as adversidades, ainda vale à pena lutar.

Será que devo procurar ajuda profissional

Não precisa esperar para saber se o luto vai chegar ao estágio patológico. Geralmente, a ideia vem de outra pessoa, pois quem está passando pelo luto não consegue ver as coisas com muito clareza. Se alguma pessoa próxima está apresentando sinais de constante negação após muito tempo de luto, deixando de ir a compromissos, é hora de tentar ajudá-la a procurar terapia.

Independente do nível de intensidade do luto, procurar por alguém com quem conversar é de extrema importância. As pessoas devem se desprender da ideia de que têm a obrigação de passar por tudo sozinhas. O atendimento especializado funciona melhor ainda quando se está rodeado de pessoas que amamos e que nos ajudam a seguir em frente. Não se trata de deixar a memória do seu ente querido desaparecer, e sim de seguir em frente, guardando os melhores momentos que vocês tiveram juntos.

Este conteúdo foi útil para você? Deixe seu comentário, curta e compartilhe; seu feedback é muito importante para nós. E não se esqueça de assinar a nossa newsletter. Até a próxima!

Atendimento

Av. Sampaio, Nº 296, Centro
Feira de Santana - BA - 44125-280

(75) 3623-0940 / 3485-1210

paxbahia@paxbahia.com.br

Clique para ampliar