^ Voltar ao topo
(75) 3623-0940

As consequências da solidão na nossa saúde física

As consequências da solidão na nossa saúde física

A solidão é um sentimento comum para muitos; pelo menos em algum momento da vida, todos nós já nos sentimos sozinhos e isolados. Mas tem situações em que esse sentimento se torna muito forte, trazendo consequências ruins a nossa saúde física e mental.

Durante a adolescência e a juventude, a solidão pode moldar suas personalidades, acarretando em dificuldades de socialização e crises de ansiedade e depressão. Quando falamos sobre a terceira idade, as consequências da solidão são ainda maiores por conta dos obstáculos gerados pela exclusão social e as limitações físicas.

Por conta da desregulação de hormônios ligados ao bem-estar, como a serotonina, adrenalina e cortisol, sistema endócrino e imunológico podem também serem afetados, trazendo como consequência doenças físicas e também doenças psicossomáticas.

A partir de um estudo encomendado pela Universidade Brigham Young nos EUA, hoje sabemos que a solidão faz tão mal à saúde quanto o sedentarismo e o abuso de álcool e outras drogas.

Quer saber quais são as principais consequências da solidão na nossa saúde física e mental? Continue lendo!

O que é solidão

Se sentir só não é, necessariamente, sentir solidão. Os especialistas atentam para a diferença entre esses dois conceitos e para a cautela na hora de definir o que é a solidão.

É possível ser uma pessoa sozinha e, ainda assim, muito ativa socialmente. Há casos em que a pessoa prefere ficar mais tempo sozinha, lendo um livro ou assistindo um filme, o que não o impede de conviver bem em comunidade. Mesmo que haja uma tristeza momentânea, nenhum dos casos citados define a solidão.

A solidão pode ser caracterizada pelo isolamento permanente, acompanhado frequentemente de sentimentos como desamparo e tristeza. Neste caso, o indivíduo pode estar nessa situação por ter dificuldades de socialização, ou por isolamento e exclusão proposital.

Consequências da solidão

Antes de listar as consequências mais comuns, queremos lembrar que o apoio da família e de um psicólogo é essencial, principalmente quando o indivíduo é idoso. Para evitar que a solidão se aprofunde, é importante buscar o convívio social.

A seguir, veja as principais consequências da solidão:

Crise de ansiedade e depressão

Crises de ansiedade e depressão costumam ser bem frequentes em situações de solidão. A sensação de vazio e abandono, junto à perda de energia e vontade de fazer atividades que até então eram prazerosas, são os principais sintomas. Além deles, são comuns: irritabilidade, falta de apetite ou apetite exagerado, distúrbios do sono, entre outros.

Alteração nos níveis de açúcar

Apesar de “diabetes emocional” não existir, as alterações causadas pelo estresse e depressão da solidão, podem causar indiretamente a diabetes. Fatores como a desregulação da produção de hormônios e o aumento de apetite, causando um aumento do consumo de açúcar, podem influenciar.

Pressão alta

Considerada uma das principais consequência da solidão, a pressão alta é causada, principalmente, pela desregulação de hormônios como o cortisol, mas também está relacionada com o menor controle da alimentação e a falta de prática de exercícios físicos.

Quando não controlada, a pressão alta pode favorecer a ocorrência de ataques cardíacos, derrame ou problemas nos rins.

Insônia

A sensação de insegurança e desamparo que caminham junto com a solidão, além dos efeitos da ansiedade e depressão, pode causar o desenvolvimento de insônia.

Mas a insônia não é o único distúrbio do sono que pode aparecer; a necessidade de dormir demais também é uma ocorrência frequente. Essa combinação causa um desequilíbrio na saúde física do indivíduo, desregulando o funcionamento do organismo.

Dependência química

Normalmente relacionada à busca pelo sentimento de prazer e alívio imediato, a dependência química é um grande risco para quem vive em solidão. O inverso também pode ocorrer; a falta de auxílio de família, amigos e profissionais, pode levar um dependente químico ao isolamento, dificultando o abandono do hábito.

O que é uma doença psicossomática

O não tratamento de transtornos psicológicos, como alguns citados nesse artigo, tal como uma crise de ansiedade e depressão, pode acarretar em outra condição psiquiátrica, que chamamos de “somatização”.

Essa condição é caracterizada pela apresentação de sintomas físicos, como dor, diarreia, tremores e falta de ar, que não parecem ter uma explicação de doença ou alteração orgânica.

São sintomas desencadeados por transtornos psicológicos. Isso acontece porque a doença psicossomática está relacionada ao controle das emoções, sentimentos e ao modo de pensar. A falta de controle das emoções e pensamentos negativos, pode desencadear desequilíbrios que, consequentemente, sobrecarregam as funções do corpo.

Cada pessoa pode manifestar fisicamente as suas tensões emocionais em diferentes órgãos. Além disso, há casos de doenças que são desencadeadas ou pioradas por situações de estresse, como as doenças autoimunes.

O tratamento se dá com o uso de medicamentos, como antidepressivos e ansiolíticos, e com o auxílio da psicoterapia.

Se você está se sentindo muito sozinho, não tenha vergonha de pedir ajuda. A nossa saúde mental é tão valiosa quanto a saúde física, é importante que cada vez mais possamos falar abertamente sobre o assunto, sem tabus.

Se você gosta deste tipo de conteúdo, não deixe de conferir outras informações e dicas sobre saúde e bem-estar no blog da Pax Bahia. Até a próxima!

Este artigo foi útil para você? Seu feedback é muito importante para nós. Deixe seu comentário, curta, compartilhe e assine a nossa newsletter!

Atendimento

Av. Sampaio, Nº 296, Centro
Feira de Santana - BA - 44125-280

(75) 3623-0940 / 3485-1210

paxbahia@paxbahia.com.br

Clique para ampliar