^ Voltar ao topo
(75) 3623-0940

Por que é importante prevenir as fraturas ósseas durante a pandemia

Por que é importante prevenir as fraturas ósseas durante a pandemia

À medida que envelhecemos, as linhas de expressão tornam-se mais evidentes no rosto e, no corpo, os ossos que nos sustentam tornam-se mais frágeis. Isso é resultado de uma perda gradual de massa óssea, o que torna os ossos mais suscetíveis a fraturas.

Enfrentando a pandemia Covid-19, é importante saber a importância de cuidar dos ossos e controlar a osteoporose na maturidade.

É uma questão de qualidade de vida.

Em um período sem precedentes de nossas vidas, precisamos considerar os riscos enfrentados pelos idosos.

Além de terem que ficar em casa por períodos mais longos por estarem sob risco de coronavírus, eles também precisam continuar os cuidados adequados em casa para evitar fraturas.

Para explicar melhor a importância de prevenir fraturas ósseas durante a pandemia, a Pax Bahia preparou um material completo para você se tranquilizar e tomar as melhores medidas possíveis para evitar fraturas pelo corpo. Confira.

Fraturas ósseas: diagnóstico, sintomas e como evitar durante a pandemia

A osteoporose é uma das fraturas ósseas que mais afetam os brasileiros. Apesar de ser uma doença crônica e silenciosa, atinge um terço das mulheres e um quinto dos homens a partir dos 50 anos.

A grande maioria dos casos só pode ser determinada após a primeira fratura. Portanto, acompanhamento médico e exames, como a determinação da densidade óssea, devem ser realizados para evitar o agravamento do problema.

No entanto, embora muitas pessoas não possam fazer isso devido ao isolamento social, existe outra maneira de determinar o risco de fraturas. Continue lendo para conhecer!

Método FRAX - Prevenção de fraturas

É um método usado no consultório ou por meio de uma ferramenta de avaliação de risco de fratura (abreviado como FRAX) para aplicações de telemedicina.

Por meio de uma pesquisa por questionário, ela estimou a probabilidade de uma fratura nos próximos dez anos.

Portanto, ele usa informações sobre fatores de risco, como baixo peso, tabagismo e consumo excessivo de álcool.

A ferramenta avaliará tudo isso e identificará rapidamente aqueles que precisam de mais atenção e tratamento específico.

Além disso, preenche uma lacuna onde a densitometria não está disponível, o que não é muito difundido no Brasil.

Como evitar velhos hábitos e combater as fraturas ósseas

O que preocupa a situação é o fato de a paciente não considerar a osteoporose como uma doença crônica e acabar sofrendo uma fratura sem o devido diagnóstico e acompanhamento.

Com idosos em casa, percebemos de perto a realidade da doença. As fraturas podem acontecer de uma hora para outra: subindo uma escada ou realizando tarefas domésticas simples.

Como muitos não foram diagnosticados com a doença, pelo simples fato de nunca terem consultado um médico especializado nesta enfermidade, muitas fraturas deixam de ser evitadas por simplesmente não se ter uma orientação médica ou uma patologia definida.

Mesmo antes da pandemia, as fraturas osteoporóticas já eram consideradas altas demais. A taxa de incidência é muito elevada, principal razão pela qual os idosos perdem a independência funcional.

O distanciamento social imposto pela Covid-19 exacerbou essa situação. Os idosos passam a maior parte do tempo em casa sem assistência médica, pois muitas consultas acabaram sendo canceladas, principalmente no primeiro semestre do ano.

Estima-se que ocorra uma fratura osteoporótica a cada três segundos no mundo - as fraturas mais comuns incluem quadril, coluna, punho e braço.

Precauções

Quanto mais velho o indivíduo, maior a possibilidade de problemas. Não podemos ignorar o fato de que o número de acidentes domésticos aumentou isoladamente, e muitas pessoas reduziram suas rotinas de vigilância médica por medo de exposição ao vírus.

Porém, para prevenir fraturas em tempos de pandemia, o simples cuidado de olhar para onde pisa, evitar realizar uma atividade que vá além da sua capacidade física são algumas das atitudes mais indicadas.

Portanto, remova o tapete de fácil deslizamento, não espalhe os fios no chão, coloque os móveis em uma área bem ventilada e mantenha a sala bem iluminada.

Estes cuidados podem reduzir o risco de queda, evitando a hospitalização e demais acidentes.

Para as pessoas com diagnóstico de osteoporose, desistir de seus tratamentos durante a pandemia é ter a certeza de que sua doença voltará cada vez mais forte nos próximos meses.

Portanto, mantenha contato com seu médico, mantenha sua dieta em ordem, realize os exercícios indicados pelo seu médico e jamais pare de tomar suas medicações. A prevenção de fraturas é uma prioridade neste momento.

Pense que neste momento de isolamento social a melhor maneira de cuidar do mundo é cuidar de si. Continue aproveitando o suporte médico, realize suas atividades rotineiras ou incentive os idosos a cuidarem de si mesmos e a viverem uma vida livre de fraturas.

Para mais conteúdos como este, repleto de informações sobre saúde, bem-estar, qualidade de vida e muito mais, continue acompanhando nossos conteúdos e não esqueça de deixar seu feedback. Assine nossa newsletter para receber as novidades em primeira mão!

Atendimento

Av. Sampaio, Nº 296, Centro
Feira de Santana - BA - 44125-280

(75) 3623-0940 / 3485-1210

paxbahia@paxbahia.com.br

Clique para ampliar