^ Voltar ao topo
(75) 3623-0940

Precisamos falar sobre a menopausa: o que é, sintomas e tratamento

Precisamos falar sobre a menopausa: o que é, sintomas e tratamento

O estigma social em torno de assuntos relacionados à saúde feminina acaba por tornar questões mais complexas do que de fato são. A menopausa não é uma doença, e também não pode ser confundida com o climatério, ela é uma fase natural da vida das mulheres e ocorre, em média, entre os 48 e 51 anos de idade.

Durante este período da vida da mulher, muitas deixam de procurar respostas e ajuda médica por pura vergonha causada por estigmas. Pouco se discute sobre o tema, deixando muitas mulheres encarregadas de lidar sozinhas com os sintomas que, muitas vezes, podem ser intensos e incômodos.

Por isso, precisamos falar sobre a menopausa. Durante este artigo vamos falar sobre o que é menopausa e climatério, quais são os sintomas desta transição e quais os possíveis tratamentos caso os sintomas se tornem muito incômodos.

O que é menopausa e climatério?

A menopausa é o nome que damos ao episódio da última menstruação, quando os hormônios femininos (estrogênio e progesterona) já não são mais produzidos pelos ovários. A partir desse momento, as mulheres param totalmente de menstruar, e podem sofrer com a falta dos hormônios com os quais conviveram pela maior parte de suas vidas.

O climatério é justamente o momento de transição do período reprodutivo para o não reprodutivo. Ele anuncia a menopausa e se estende até a pós-menopausa. É durante esta transição que os sintomas mais incômodos se manifestam.

Em outras palavras, a menopausa é o momento da parada, enquanto o climatério é o processo.

Fases do climatério

O comum é a pré-menopausa iniciar por volta dos 40 anos de idade. Caso aconteça antes dessa idade, é considerada uma menopausa precoce, com causa ainda desconhecida. Neste estágio o corpo da mulher se prepara para não ser mais fértil, ou seja, a produção dos hormônios começa a diminuir gradativamente. Costuma ser assintomática.

Os sintomas da menopausa se iniciam durante a fase da perimenopausa, que podem ser tratados com terapias hormonais ou até mesmo com um tratamento natural. É durante este período que deve ocorrer a irregularidade do ciclo menstrual até chegar na menopausa em si. Costuma terminar cerca de um ano depois da última menstruação.

Por fim, a fase da pós-menopausa dura até o final da vida. Com o término da produção dos hormônios femininos, podem ocorrer o desenvolvimento de osteoporose, problemas cardiovasculares, obesidade e atrofia vaginal (secura no órgão e dores durante as relações sexuais). Caso ocorra alguma situação citada, o correto é procurar ajuda médica para iniciar o tratamento de terapia hormonal, ou outro tratamento natural para a menopausa.

Causas da menopausa

A menopausa faz parte do ciclo de fertilidade natural da mulher, ou seja, toda mulher irá passar pela menopausa em algum momento, com o envelhecimento natural dos ovários.

No entanto, outros acontecimentos podem causar a menopausa de forma não natural e precoce. Eles estão listados a seguir:

Tratamento de quimio e radioterapia

Os tratamentos mais comuns contra cânceres podem induzir a menopausa. Isso pode acontecer durante o tratamento, logo após e até alguns anos depois do final dele.

É importante lembrar também que existem casos onde a menopausa não é permanente. Nestes, o acompanhamento médico com uma reposição hormonal pode fazer toda a diferença.

Histerectomia

A remoção do útero, cientificamente chamada de histerectomia, pode causar a menopausa, mas não necessariamente o climatério. Este último só acontece caso também haja a retirada dos ovários.

Isso porque o estrogênio e a progesterona são produzidos nos ovários. Portanto, caso não haja a remoção dos mesmos, a mulher deixa de menstruar, mas não deixa de produzir os hormônios.

Caso a histerectomia seja completa (retirada do útero e dos ovários), a menopausa é imediata, irreversível e muitas vezes os sintomas do climatério são intensificados.

Insuficiência ovariana primária

Essa disfunção costumava ser chamada de falência ovariana prematura ou apenas menopausa precoce. No entanto, ainda que muitos casos de menopausa precoce estejam relacionados a esse distúrbio, mulheres com insuficiência não param necessariamente de menstruar.

Insuficiência ovariana significa que os ovários não produzem quantidades normais de hormônios, causando, recorrentemente, infertilidade.

É possível fazer tratamento, tanto para evitar a menopausa precoce, quanto para engravidar. Especialistas recomendam terapia hormonal e suplementos para ajudar a evitar a osteoporose.

Sintomas da menopausa

Os sintomas da menopausa podem chegar com diferentes intensidades para cada mulher. Para muitas, a fase inicial (pré-menopausa) é completamente assintomática, e para outras os sintomas começam desde o início do processo.

A tendência, no entanto, é o aumento gradativo dos sintomas conforme a diminuição gradativa da produção dos hormônios. Seguindo esta lógica, os mais comuns são os seguintes:

  • Alterações menstruais: atrasos, diminuição da duração e da quantidade do fluxo, escapes e/ou ausência de menstruação.
  • Ondas de calor: sensação súbita de calor, principalmente na face, pescoço e no peito; rubores, sudorese e palpitações cardíacas podem acompanhar.
  • Dores de cabeça.
  • Suor noturno.
  • Alterações na pele, cabelos e unhas: perda de vigor, afinamento e fraqueza.
  • Alterações psíquicas: mudanças repentinas de humor, períodos de ansiedade, irritabilidade, melancolia, insônia, diminuição da auto-estima e episódios de depressão.
  • Ganho de peso: principalmente na região dos seios e do abdômen.
  • Incontinência urinária: dificuldade para esvaziar a bexiga, infecções urinárias e ginecológicas.
  • Ressecamento vaginal: dor durante as relações sexuais e diminuição da libido.

Em casos menos frequentes, as mulheres podem sentir calafrios, ter diminuição da memória, sentir fadiga, ter perda de massa óssea podendo resultar em osteoporose e desenvolver doenças cardiovasculares.

Tratamento para aliviar os sintomas

O tratamento não é obrigatório; como já dissemos aqui neste artigo, a menopausa é um processo natural do corpo feminino. Em alguns casos, se os sintomas estiverem muito intensos e incômodos, os especialistas podem prescrever intervenções terapêuticas, como a reposição hormonal.

A terapia deve ser avaliada criteriosamente, porque apesar de aliviar os sintomas do climatério e de funcionar como uma proteção contra a osteoporose, também pode aumentar o risco de desenvolver doenças como câncer de mama, trombose e problemas cardiovasculares.

Outros tratamentos não convencionais incluem: medicamentos não hormonais referentes aos sintomas separadamente (antidepressivos, hipno-sedativos, antidopaminérgicos, entre outros); fitoterapia (uso de plantas medicinais, como fitoestrogênios); homeopatia e acupuntura.

Uma outra forma de tratamento natural para a menopausa é manter uma alimentação saudável (principalmente alimentos ricos em cálcio e vitamina D) e fazer atividades físicas regularmente.

Com os devidos cuidados, este não precisa ser um período de grandes dificuldades para as mulheres. A verdade é que os tabus que perseguem os assuntos femininos são os maiores culpados e as maiores barreiras para uma vida de qualidade.

Vamos continuar essa conversa? Se você curtiu, compartilhe nas suas redes sociais! Não se esqueça de conferir outros artigos aqui do blog da Pax Bahia.

Nos conte nos comentários o que você achou deste conteúdo e não se esqueça de assinar a nossa newsletter para receber as novidades do blog em primeira mão.

Atendimento

Av. Sampaio, Nº 296, Centro
Feira de Santana - BA - 44125-280

(75) 3623-0940 / 3485-1210

paxbahia@paxbahia.com.br

Clique para ampliar