^ Voltar ao topo
(75) 3623-0940

Mal de Parkinson: sintomas, causas e tratamento

Mal de Parkinson: sintomas, causas e tratamento

Se você acompanha o blog da Pax Bahia, você já sabe que por aqui os assuntos relacionados à saúde na terceira idade são muito importantes. O mal de Parkinson é uma das doenças mais comuns em idosos e, por isso, você já deve ter conhecido alguém que teve que lidar com este mal.

No entanto, ainda que quanto maior a faixa etária maior é a incidência, essa doença pode aparecer em qualquer idade. Isso porque trata-se de uma doença neurológica degenerativa, crônica e progressiva e as causas do Parkinson ainda não são conhecidas.

Apesar dos sintomas mais conhecidos serem a rigidez muscular e os tremores involuntários, nem sempre são eles que denunciam o quadro. O mal de Parkinson pode muitas vezes ser confundido com outras doenças degenerativas, como o Alzheimer e a demência, e por isso precisa cada vez da conscientização popular.

Para estar atento às necessidades daqueles que amamos, preparamos este breve artigo com as principais informações sobre essa doença. Quer saber quais são os sintomas do mal de Parkinson, as causas e o tratamento? Continue lendo!

Quais são as causas do mal de Parkinson?

A origem do mal de Parkinson é a morte das células do cérebro. Principalmente das células encontradas na área chamada de substância negra, que é responsável pela produção da dopamina que, entre outras funções, controla os movimentos.

No entanto, a causa da morte destas células ainda é desconhecida. Acredita-se que tenha a ver com o envelhecimento natural e por isso é uma doença mais comum em idosos.

O que não significa que pessoas mais novas não possam desenvolver a doença; pelo contrário, segundo a Universidade Federal de São Paulo, 10 a 20% dos primeiros episódios ocorrem por cerca dos 40 anos de idade.

Por isso, considera-se também outras possibilidades de causas do mal de Parkinson. Fatores como genética e meio ambiente (exposição a certas toxinas) podem estar envolvidos.

Em resumo, entende-se como grupo de risco aqueles que têm mais de 60 anos de idade, possuem parentes próximos que desenvolveram a doença e aqueles que estejam expostos continuamente à toxinas como herbicidas e pesticidas.

Sintomas do mal de Parkinson

Por ser uma doença neurológica, a evolução dos sintomas pode variar de paciente para paciente. Em geral é uma doença lenta e muitos possuem dificuldade de se dar conta, e até mesmo lembrar, da primeira vez que os sintomas apareceram.

Como as células atingidas são as responsáveis pela produção da dopamina, os primeiros sintomas do mal de Parkinson estão relacionados à dificuldade motora. Podem ser percebidos a lentidão nos movimentos e os tremores nas mãos.

A medida que a doença avança a dificuldade motora se torna mais expressiva, são sintomas do mal de Parkinson:

  • Diminuição de movimentos naturais e automáticos, como o piscar;
  • Dificuldade de engolir;
  • Falta de expressão facial;
  • Dores musculares;
  • Dificuldade para começar um movimento, como caminhar ou levantar os braços;
  • Inclinação do corpo para frente;
  • Perda da motricidade fina (dificuldade para ler e escrever).

Em sua fase terminal, o paciente pode apresentar sintomas não-motores, como:

  • Depressão;
  • Ansiedade, estresse e tensão;
  • Confusão mental;
  • Demência;
  • Alucinações;
  • Perda de memória;
  • Constipação;
  • Tonturas e desmaios.

Caso apresente o conjunto de sintomas citados neste tópico, independente da idade, aconselhamos a procurar por um neurologista.

Tratamento do mal de Parkinson

A detecção precoce faz toda a diferença. Apesar do mal de Parkinson não possuir cura e ser progressivo, existem algumas atividades terapêuticas que ajudam a diminuir os sintomas, aumentando significativamente a qualidade de vida do indivíduo.

Para o tratamento são utilizados recursos medicamentosos, cirúrgicos e fisioterápicos.

Muitos desses tratamentos são combinados com mudanças significativas de hábitos de vida. É possível perceber uma diminuição na velocidade da evolução da doença quando o portador mantêm uma vida saudável e estimuladora, tanto fisicamente quanto mentalmente.

A prática de exercícios físicos, como musculação, natação, corrida, alongamento e até mesmo o yoga, já demonstraram resultados positivos.

E como ainda não foram identificadas as causas do mal de Parkinson, também não existem formas de prevenção comprovadas.

Doenças mais comuns em idosos

Talvez você tenha percebido as semelhanças do mal de Parkinson com outras doenças comuns em idosos, como o Alzheimer e a demência.

Todas elas estão relacionadas à degeneração neurológica e podem surgir de processos naturais relacionados ao envelhecimento. São doenças incapacitantes que muitas vezes contribuem para a exclusão do idoso na nossa sociedade e por isso merecem nossa atenção.

Os cuidados com a terceira idade não são apenas sobre o estado físico do idosos, eles devem incluir também a paciência e o carinho com aqueles que não estão 100% em suas capacidades mentais e motoras.

Aqui no blog da Pax Bahia você encontra diversos conteúdos sobre a saúde na terceira idade e hábitos saudáveis para uma vida de qualidade. Não deixe de conferir!

Você gosta deste tipo de conteúdo? Aqui no blog da Pax Bahia você encontra tudo sobre saúde e bem-estar. Assine a nossa newsletter e acompanhe tudo em primeira mão!

Atendimento

Av. Sampaio, Nº 296, Centro
Feira de Santana - BA - 44125-280

(75) 3623-0940 / 3485-1210

paxbahia@paxbahia.com.br

Clique para ampliar