^ Voltar ao topo
(75) 3623-0940

Pilates para a terceira idade: a importância de amadurecer com saúde

Pilates para a terceira idade: a importância de amadurecer com saúde

O mundo está envelhecendo. E isto não deve ser visto como algo ruim. Muito pelo contrário - significa que a expectativa de vida aumentou e que as pessoas estão mais preocupadas com a saúde. 10% da população brasileira (cerca de 20 milhões de pessoas), está na faixa etária acima dos 60. Em alguns anos, é previsto que sejamos a sexta população com maior número de idosos.

Melhor idade

A terceira idade não é o princípio do fim da vida, como muitos acreditam. É a época em que a pessoa tem experiência para saber lidar melhor consigo mesma, com tranquilidade de quem não tem mais certas pressões inerentes à juventude. É uma chance para se reencontrar e aproveitar tudo que foi construído durante a juventude.

Para qualquer um que busque por melhor qualidade de vida, é essencial se manter em forma, fazer o corpo trabalhar. Uma das causas naturais do envelhecimento é a perda da flexibilidade e da resistência física, problema este que pode tornar bastante complicada a execução de atividades corriqueiras do dia-a-dia, e uma rotina de exercícios.

Resultados rápidos

Para quem não sabe, Pilates é o sobrenome do enfermeiro alemão criador desse tão popular método de condicionamento físico, na década de 1920. Joseph Pilates sofria de diversas mazelas que acarretariam no uso de cadeira de rodas; com muito estudo, criou e passou a praticar os exercícios por conta própria, o que lhe rendeu longos e saudáveis anos de vida. Para ele, o princípio do pilates é a individualidade - ele atende às necessidades específicas de cada um. Em suas palavras, “Em 10 sessões você sentirá a diferença, em 20 sessões você verá a diferença e em 30 sessões terá um novo corpo”.

Melhor postura: fortalece músculos minúsculos que sustentam a coluna, englobando também a cintura escapular. Com a prática regular de pilates, quem sofre das dores que vêm com a idade poderá voltar a fazer tudo como antes, sem o menor cansaço;

Flexibilidade: pilates não é yoga, mas alonga e fortalece os seus músculos, o que melhora sua elasticidade e a mobilidade das articulações;

Mais atenção: o método trabalha a concentração, já que os exercícios requerem um bom entendimento para serem executados corretamente. Isso é importante no desenvolvimento de tudo o que você for fazer no seu dia-a-dia;

Círculo social: independente do esporte ou atividade praticados, você vai conhecer pessoas. Além de todos os benefícios, você estará rodeado de pessoas com um interesse em comum ao seu, o que já é um ótimo motivo para começar uma amizade;

Qual o diferencial do pilates?

Seu objetivo é a precisão dos movimentos, não a repetição exaustiva; por exemplo, o controle da respiração a qualidade do movimento - não a quantidade, como em outros exercícios, que visam crescimento muscular. O pilates abrange os músculos da região pélvica - o que é uma ótima solução para problemas de incontinência fecal e urinária - e os que ficam próximos à coluna vertebral, podendo ser realizado em grande parte em posições sentadas ou reclinadas.

Muitos não sabem a diferença ou o confundem com o yoga. Apesar de ambos enfatizarem a conexão do corpo com a mente, trabalhar a respiração e ter algumas posturas em comum, o yoga tem como foco o alongamento e o pilates, o fortalecimento. É possível, inclusive, realizar uma sequência de exercícios intercalados de ambos.

Para a terceira idade

O pilates é uma atividade física muito recomendada para a terceira idade, por ter pouco impacto corporal e ser maleável de acordo com o limite de cada um, além de promover melhoria nas funções corporais, no equilíbrio, na força, na coordenação, e na velocidade dos reflexos. Além de todos esses benefícios, também é um agente importante na luta contra diversas doenças relacionadas à idade, por exemplo:

Artrite: os movimentos suaves reduzem a compressão das articulações, mantendo uma amplitude de movimentos ao redor delas;

Osteoporose: os exercícios de perna podem aumentar a densidade óssea tanto na coluna quanto nos quadris;

Estenose lombar: aqui, o pilates ajuda a esticar os músculos das costas e fortalecer os extensores da coluna, contrabalanceando a força da gravidade;

Doenças degenerativas: seus efeitos são comprovados no retardo e reversão de doenças degenerativas como Parkinson e Esclerose Múltipla, e até mesmo em traumas cerebrais, como derrame.

Antes de tudo, é necessária uma avaliação física. Para quem já é mais ativo, as atividades são bem menos restritas, mas vale levar em conta que, mesmo ativos, alguns idosos podem apresentar deficiência de massa óssea e muscular. É sempre bom lembrar que flexão, por exemplo, não é bom para quem tem osteoporose, assim como extensões podem causar lesões em alguém com estenose. Independente disso, tudo deve ser realizado com com acompanhamento, para que os objetivos sejam atingidos sem complicações.

O pilates deve ser realizado com controle, precisão e concentração. Ele cria uma conexão entre o corpo e a mente a cada movimento. É um exercício para a vida, e também é útil para quem quer melhor desempenho em outras atividades e esportes. Na terceira idade, é fundamental para quem deseja amadurecer com saúde e aproveitar melhor que essa época especial da vida oferece.

Gostou deste artigo? Curta, compartilhe, deixe seu comentário ou sugestão e fique ligado que estamos sempre preparando conteúdos feitos para você viver bem!

Atendimento

Av. Sampaio, Nº 296, Centro
Feira de Santana - BA - 44125-280

(75) 3623-0940 / 3485-1210

paxbahia@paxbahia.com.br

Clique para ampliar